Me olhe... eu gosto!

Me comente... eu preciso!

sexta-feira, 21 de março de 2008

Luxúria


- Não senhor, ela não era gorda- respondi para o homem - Margarida era de família classe média-alta. Muito bonita e com belo corpo. Sempre tirava boas notas e tinha potencial intelectual. Conheceu o sexo, e contrariando a tudo e a todos, resolveu aliar negócios com prazeres, tornou-se prostitua da luxo. Sua agenda era lotada, fazia sexo todos os dias, de manhã, de tarde, noite e madrugada, e seu preço era caríssimo. Nos raros momentos sem sexo, ela se masturbava com o dedo ou com o primeiro objeto roliço que visse. Da prostituição comprou apartamento em área nobre, carro novo e ainda sobrou uma boa grana. Quando completou cinqüenta anos ela era uma coroa recauchutada, mas quando chegou aos cinqüenta e cinco, não dava mais para continuar no ramo, porém continuou com sede de sexo. Antes os homens a procurava para transarem, agora ela era quem procurava alguém para transar. Morreu com oitenta e dois anos. Gastou dois terços de sua vida transando. Acho que agora você já sabe o porquê do caixão largo.

Alan Lira


http://veracidadedifusa.blogspot.com


Adorei o texto...
Não tenho mais tempo de blogar...
perdão...

3 comentários:

Conquistadores (Didixy) disse...

Uma pura verdade. Muito realista e verdadeiro mesmo.

Gostei do texto também.

Bjs

pritty gata disse...

Minha amiga não existe gente....
oh mei so vc mesmo viu?amo

Albatroz disse...

Gostei do Texto. Forte. Diferente de fazer por obrigação, tudo muda de figura quando sua vida gira em torno disso. No final das contas, tudo gira em torno de sexo mesmo. Ganhamos dinheiro para sexo, trabalhamos para ganhar dinheiro para sexo. Desde adolescentes a felicidade tem a ver com sexo. Sexo rejuvelheçe. Viver sem sexo é viver com amargor.