Me olhe... eu gosto!

Me comente... eu preciso!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

O sem sabor silêncio do não amor

Estou sentindo este sem sabor agora... O coração empedrado feito túnel de grande cidade, passa todo mundo, ninguém para, ninguém consegue destruir, batem em suas paredes, esfolam-se... e lá está ele, imponente e frio, vazio de um mundo de carros barulhentos.
Estou pronta pro embate... mas ao contrário... não sinto nada! que porra de vida adulta é essa sem graça nenhuma????????
Tempo bom de adolescer, apaixona-se toda hora, ri e chora....
Tempo ruim é envelhecer, idéia fixa, amor doído, vira nada , vira um tanto/faz sem graça e sem vontade...
P q vc não me faz tremer embaixo do vestido de novo?
tá com preguiça tb?

4 comentários:

Xisto Bueno disse...

Nossa... parece que a vida adulta nos traz mais vazio que conteúdo, sobretudo no coração.
Triste sina a nossa, de crescermos. Não que seja defensor da síndrome de Peter Pan, mas concordo que a adolescência trazia mais alegrias, mais dores, mais confusões, mais vida, enfim.
Adorei o desabafo.

Xisto Bueno disse...

Nossa... parece que a vida adulta nos traz mais vazio que conteúdo, sobretudo no coração.
Triste sina a nossa, de crescermos. Não que seja defensor da síndrome de Peter Pan, mas concordo que a adolescência trazia mais alegrias, mais dores, mais confusões, mais vida, enfim.
Adorei o desabafo.

Xisto Bueno disse...

Nossa... parece que a vida adulta nos traz mais vazio que conteúdo, sobretudo no coração.
Triste sina a nossa, de crescermos. Não que seja defensor da síndrome de Peter Pan, mas concordo que a adolescência trazia mais alegrias, mais dores, mais confusões, mais vida, enfim.
Adorei o desabafo.

Vanderlucia disse...

Muito bom!!! Vc continua inspiradíssima!!! Saudades. Vande.